Low-Code e No-Code

O que é Low-Code? E No-Code?

Ei, quando você pensa em Low/No-Code, qual imagem vem na sua cabeça? Provavelmente um mapa mental de uma plataforma? Ou talvez você não se lembre de nenhuma imagem? Quais são os termos que você associa com Low/No-Code?

Ao procurar pelo termo Low-Code no Google, você encontra mais de 4.240.000.000 resultados em menos de um segundo.

O que é Low-Code?

Low-Code é uma abordagem simplificada e visual para o desenvolvimento de software. As plataformas de Low-Code possuem um ambiente pronto para o desenvolvimento de aplicativos, automatizando cada etapa de criação do aplicativo para permitir uma entrega rápida, reduzindo a programação através do código manual, pois já há features e ferramentas pré-configuradas para a construção de aplicativos ou sites.

O aumento da demanda por soluções de software junto com a escassez de desenvolvedores qualificados impulsionaram a adoção de plataformas de desenvolvimento em Low-Code como solução, pois há uma quebra no modelo tradicional do time de TI que passa a promover a colaboração contínua entre desenvolvedores e profissionais de outras áreas.

Qual o objetivo do Low-Code?

Permitir que pessoas sem conhecimentos complexos em programação desenvolvam aplicativos, facilitando sua configuração e atingindo rapidez e agilidade. Além disso, as plataformas também oferecem às empresas uma maneira mais econômica de atender ao mercado e configuração prática de sistemas internos.

E o que é No-Code?

As plataformas No-Code têm usabilidade para pessoas sem nenhum conhecimento de programação – ou seja, ela pode desenvolver produtos digitais, como um site ou app sem programar nenhuma linha.

Low-Code vs. No-Code

Você já pode ter visto em vários lugares a denominação “No/Low-Code” e apesar de apresentarem soluções similares, e serem muitas vezes apresentadas como sinônimos, o conceito e as funcionalidades de cada plataforma são diferentes.

Entenda as principais diferenças:

No-Code

  • Acessível para qualquer pessoa sem conhecimento técnico em programação e desenvolvimento
  • Soluções mais restritas e limitadas
  • Funcionalidades predefinidas pela plataforma

Low-Code

  • Destinadas para pessoas com algum conhecimento em programação
  • Soluções mais flexíveis e customizadas
  • Agilidade e colaboração em projetos compartilhados

Como surgiu?

O termo “Low-Code” apareceu pela primeira vez em uma pesquisa da Forrester Research em 2014 para descrever uma forma de programar mais rápida, contínua e no modelo test-and-learn.

Desenvolvimento de Aplicativos Low-Code

Velocidade, flexibiblidade e customização são algumas características do desenvolvimento de aplicativos em Low-Code.
Em 2017, The University of South Florida (USF) usou uma ferramenta Low-Code para criar uma plataforma de comunicação entre alunos, pais, professores, colaboradores e comunidade durante o Furacão Irma. A equipe da USF implantou uma plataforma de ajuda em poucas horas, usando o Low-Code e pontos de dados existentes, para colocar o novo aplicativo em funcionamento de maneira rápida e econômica.


2 comentários

  1. […] – Segurança de dados; – Integração de software.No entanto, as plataformas Low-Code se tornaram uma alternativa mais rápida à codificação e tornaram-se sinônimos de velocidade, […]

  2. […] Você deve estar pensando que investir nessas tecnologias é muito caro – de fato, a hiperautomação e multiexperiências são algumas das áreas que mais recebe investimento – mas você pode criar um sistema automatizado em uma plataforma Low-Code. […]

Deixar uma resposta